quinta-feira, 27 de maio de 2010

os nossos recantos

Restaurante Apeadeiro - Sintra


Colares - Sintra


Azenhas do mar - Sintra

 
Centro - Sintra


Quinta da Regaleira - Sintra


 
Hotel Arribas - Sintra

8 comentários:

Sammael disse...

terra Linda...mas mesmo!


bj

Morfeu disse...

“Oh! Sintra! Oh saudosíssimo retiro

Onde se esquecem mágoas, onde folga

De se olvidar no seio à natureza

Pensamento que embala adormecido

O sussurro das folhas c’o murmúrio

Das despenhadas linfas misturando.”
Almeida Garrett, Poesia

Morfeu disse...

“Oh! Em que variedade labirinto de montes e vales surge o glorioso Éden de Sintra! Ai de mim! Qual a pena ou pincel que reproduzir pode metade, sequer, das suas belezas!”

Lord Byron

Morfeu disse...

“Cintra, amena estância,

Trono de vicejante Primavera,

Quem te ama?

Quem, se em teu regaço

Uma hora de vida lhe há corrido,

Essa hora esquecerá?”

Camões, Os Lusíadas (V-13)

Morfeu disse...

(...) Em ti, serra marítima e da Lua

Paira a Saudade como a maresia,

Mágoa de amor tão alta e tão serena.

.

E quem depois voltava à pátria sua,

Ap mesmo tempo lá das ondas via

Terra de Portugal e sua pena…

Afonso Lopes Vieira, Ilhas de Bruma

Morfeu disse...

“Sintra tem o sagrado do outro lado da vida imediata e utilitária. A convulsão apazigua-se, o ruído afoga-se no silêncio da floresta, o tempo abranda-se numa lentidão genesíaca. Um banco e uma sombra tranquiliza-nos no nosso excesso e é possível então ouvir em nós a voz que outras vozes ensurdecem.”

Vergílio Ferreira, Sintra Património Mundial

Morfeu disse...

“Sintra é talvez mais bela do que sublime, mais grotesca do que bela, e todavia em minha vida nunca contemplei quadro algum que mais apto fosse a encher o espectador de prazer e admiração… Respirar o ar de Sintra é, por si só, um prazer inefável.”

Robert Southey

Morfeu disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Seguidores